Veja abaixo algumas propagandas de carros antigos lançados décadas atrás. Esses carros circulam até hoje pelas ruas do país, mostrando como eram resistentes.   

Variant 1600

Derivado dos Typ 3 alemães (mais especificamente de um protótipo da matriz que não entrou em produção), o Brasil viu em dezembro de 1968 a estreia do VW 1600, um carro de três volumes e quatro portas, com um motor a ar de 1600 cc, instalado na traseira.   

   

Acomodava quatro passageiros e os levava até cerca de 135 km/h. A dianteira, única no mundo, possuía faróis retangulares até 1970, quando foram substituídos por dois faróis redondos de cada lado.   

A fábrica sustentava o marketing na beleza do carro que aparentemente só ela via, e o carro teve sucesso limitado, sendo popular apenas entre os taxistas. Suas formas retangulares lhe renderam o curioso apelido de “Zé do Caixão”, talvez por sua semelhança com um esquife, ou talvez por parecer uma criação do famosos cineasta. Outro curioso apelido, este mais conhecido no sul do país era “saboneteira”. Embora sendo um apelido menos agressivo que o de “Zé do Caixão”, também não contribuiu para que o pequeno carrinho caísse nas graças do povo. Ele saiu de linha em 1971.   

   

Corcel

Quando a Ford adquiriu a Willys, essa última estava desenvolvendo um projeto em parceria com a Renault, o projeto “M”. Esse projeto deu origem ao Renault 12 na França, e, com uma carroceria diferente, ao Corcel no Brasil.   

   

Lançado inicialmente como um sedã 4 portas e a seguir como um coupé (em 1969), o carro foi bem aceito quando de sua estréia em 1968. O espaço interno e o acabamento chamavam a atenção, e as inovações mecânicas eram muitas, bem mais do que o seu concorrente direto, o VW 1600.   

   

Opala

Seu projeto demorou cerca de dois anos, sendo finalmente apresentado na abertura do VI Salão do Automóvel de São Paulo, num sábado, dia 23 de Novembro de 1968, já como linha 1969. A fórmula do Opala combinava a carroceria alemã do Opel Rekord C / Opel Commodore A, fabricado de 1966 a 1971, à mecânica norte-americana do Chevrolet Impala. E ao longo de seus 23 anos e 5 meses de produção contínua, passou por diversos aprimoramentos mecânicos e modificações estéticas, sendo fabricado na cidade paulista de São Caetano do Sul, localizada na Região Metropolitana de São Paulo, até ao dia 16 de Abril de 1992, uma quinta-feira.   

   

Chevette

Chevrolet Chevette é um carro da General Motors que foi lançado no Brasil em 1973 como um sedan de duas portas (fabricado até 1993) e mais tarde de quatro portas, que era uma versão feita principalmente para exportação, da qual poucos exemplares foram vendidos no mercado interno nos anos de 1978 a 1989. O Chevette também teve versões hatchback (de1980 a 1988) e station wagon, esta chamada de Marajó (de 1980 a 1989), ambas com duas portas. Também teve uma picape, a Chevy 500 (de 1984 a 1994). Foi equipado com motores de 1,0 litro (só o Júnior), 1,4 e 1,6 (carburação simples) e 1,6/S (carburação dupla, em 1988, um ano após sua última reestilização), a gasolina e a álcool.   

   

Caravan

Em 19 de novembro de 1968 foi lançado no Brasil, o Chevrolet Opala com motores de 4 cilindros (2.500 cm³)e 6 cilindros de 3.800 cm³ (esse mais tarde trocado pelo 4.100 cm³) desde seu lançamento a Chevrolet já pensava em lançar a perua Opala, conhecida por Caravan mas esse projeto ficou engavetado pois a Chevrolet concentrara-se no Chevrolet Chevette mas em1975 a Caravan foi apresentada com as mudanças impostas na família Opala e com dois motores, o 4 cilindros (2.500) e o lendário 6 cilindros (4.100). Em1978 a Caravan ganha a versão SS com os motores de 4 ou 6 cilindros.   

   

Em1986 a Chevrolet lança a versão Diplomata da Caravan, esta produzida com o interior igual ao do Opala Diplomata. Cogitou-se ainda a versão 4 portas da Caravan, que nunca foi produzida em série pela Chevrolet mas em São Paulo a indústria de cabines duplas Sulam, em conjunto com a Concessionária Guaporé, desenvolveu a Caravan 4 portas, porém poucas unidades foram montadas. Em 1992 a Caravan, junto com o Opala, se despediu do mercado. O Opala com sua série especial, o Diplomata Collectors, e a Caravan, com uma versão ambulância com câmbio na coluna de direção, incomuns para época e eram produzidas só sob encomenda.   

Veja o comercial sobre esses três modelos da Chevrolet.   

   

Fiat 147

O Fiat 147 foi um modelo de automóvel produzido pela Fiat do Brasil entre 1976 e 1986. Baseado no 127 italiano, o 147 marcou seu pioneirismo em várias formas:   

  • Primeiro carro da Fiat produzido no Brasil, marcando o início das operações da fábrica de Betim, Minas Gerais;
  • Primeiro carro brasileiro com motor transversal dianteiro;
  • Primeiro carro no Brasil com coluna articulada;
  • Primeiro carro a álcool fabricado em série em todo o mundo;
  • O menor carro a diesel da época, sendo vendido na Argentina;
  • Primeiro carro com todas as “variantes”: hatch, sedan, perua, furgão e pick-up;
  • Primeiro carro com o estepe junto ao compartimento do motor, ou seja embaixo do capô dianteiro;
  • Primeiro carro de pequeno porte com suspensão independente traseira.

   

Em seus dez anos de produção, o Fiat 147 passou por duas reestilizações, sem grandes mudanças na carroceria. A versão de início foi chamada Brio. Na primeira reestilização, ganhou uma frente mais baixa, no estilo que a marca chamou “Europa”, em 1980, e mais tarde, em 1983, a segunda,chamada Spazio, incorporando para-choques de plástico e estilo alusivo a modelos contemporâneos da marca como o Uno.   

   

Del Rey

De 1981 até 1984 foi disponibilizado nas versões Del Rey (logo conhecida como “prata”) e Del Rey Ouro, de duas e quatro portas, disponível também na versão station wagon. A partir de1985 houve uma remodelagem estética e evolução mecânica, com o propulsor passando a ser denominado CHT.   

   

As versões passaram a ser denominadas como L, GL, GLX e Ghia; todas com opção de duas ou quatro portas, e L, GLX e Ghia para a Belina (esta denominada Del Rey Scala). A partir de 1990, com a criação da Autolatina, o propulsor CHT 1.6 foi substituído por um AP 1.8 da Volkswagen acompanhado da caixa de marchas com cinco marchas e reforço na suspensão, o que otimizou seu desempenho.   

   

Fusca

O Volkswagen Fusca ou Volkswagen Carocha foi o primeiro modelo fabricado pela companhia alemã Volkswagen. Foi o carro mais vendido no mundo, ultrapassando em 1972 o recorde do Ford Modelo T. O último modelo do Fusca foi produzido no México em 2003.   


  

  

Kombi

A Kombi é um automóvel utilitário produzido pela Volkswagen. É considerada a precursora das vans de passageiros e carga.  

  

Sua construção robusta monobloco (sem chassi), suspensão independente com barras de torção, além da exótica posição do motorista no carro (sobre o eixo dianteiro e com uma coluna de direção praticamente horizontal) tornam um veículo simples e robusto, de baixo custo de manutenção. Sua motorização é um caso a parte: embora os modelos mais recentes possuam motores mais modernos, durante 50 anos o motor que equipou o veículo no Brasil foi o tradicional “boxer” refrigerado a ar, simples e muito resistente. Tal durabilidade geralmente superava em muito a do resto do carro, sendo comum nas ruas brasileiras ver carros totalmente destroçados, porém com o motor rodando perfeitamente. A despeito disso, a Kombi é um carro que, se for usado dentro das especificações padrão, pode durar por um longo período.  

 

  

Fonte: Garoto Nervoso